«

»

maio 27 2015

Imprimir Post

Yami no Ichinichi – O crime que abalou a Colônia Japonesa no Brasil

YamiNoIchinichi

 

No mês da comemoração dos 107 anos do início da imigração japonesa no Brasil, o Sábado Resistente apresentará o filme “Yami no Ichinichi – O crime que abalou a Colônia Japonesa no Brasil” (Mario Jun Okuhara, 2012, 1h22min.), que relata um episódio dramático cujas consequências marcaram profundamente a colônia japonesa no Brasil.

O documentário, fruto de intensa pesquisa, retrata a brutal repressão contra os estrangeiros que, iniciada no Estado Novo (1937 – 1945), prosseguiu no ano de 1946 sobre a população japonesa. As restrições impostas pela ditadura impediram qualquer forma de comunicação em língua japonesa, impedindo que os imigrantes tivessem conhecimento da situação do Japão durante a Segunda Guerra Mundial. Desta forma, uma violenta discórdia foi desencadeada dentro da comunidade japonesa no Estado de São Paulo, provocando mortes e ferimentos.

“Yami no Ichinichi” traz a saga de Tokuichi Hidaka que, em 1946, aos 19 anos de idade, foi um dos autores do assassinato do coronel Jinsaku Wakiyama, em crime atribuído à entidade Shindo Renmei (Liga dos Caminhos dos Súditos). Hidaka, que vive hoje na cidade de Marília, entregou-se à polícia com o restante do grupo e cumpriu 18 anos de prisão. Em liberdade, sofreu a punição da colônia japonesa: foi discriminado, condenado ao ostracismo, sem oportunidade para contar a sua versão.

Décadas mais tarde, Hidaka retorna ao presídio da Ilha de Anchieta para reconstruir a memória da época e encontrar o sentido da sua vida no Brasil.

Nesta oportunidade, também contaremos com a presença de Maurício Moromizato, prefeito de Ubatuba, SP, que no debate relatará propostas de preservação da Ilha de Anchieta para sua transformação em lugar de memória e consciência.

 

O evento é gratuito e não é necessário se inscrever.

 

PROGRAMAÇÃO

14h – Boas vindas / Coordenação

Kátia Felipini Neves (Memorial da Resistência de São Paulo)

Maurice Politi (Núcleo de Preservação da Memória Política)

 

14h15 – Projeção do filme

15h30 – Debate com convidados

Mario Okuhara (Diretor do filme, produtor e idealizador do “Projeto Abrangências” para a busca da justiça histórica dos imigrantes japoneses no Brasil, e sócio-diretor da Imagens do Japão TV e Jornalismo)

Masayuki Fukasawa (Sociólogo e jornalista japonês, redator chefe do jornal Nikkey-Shimbum desde o ano de 2004.  Autor dos livros “Um Mundo Paralelo – a vida da comunidade brasileira de Oizumi”, que recebeu o prêmio de melhor livro de não-ficção em Concurso Literário, em junho de 1999, e “Se o grão de arroz não morre – centenário da colonização japonesa no Vale do Ribeira”, em outubro de 2014).

Maurício Humberto Fornari Moromizato (Prefeito de Ubatuba. Foi presidente da ACDU (Associação de Cirurgiões Dentistas de Ubatuba), do COMUS (Conselho Municipal de Saúde de Ubatuba) e do PT (Partido dos Trabalhadores) de Ubatuba. Eleito vice-presidente da FNP – Frente Nacional de Prefeitos para cidades de 50.000 e 100.000 habitantes. Atualmente é vice-presidente da FNP para Economia Solidária e presidente reeleito do CBH-LN – Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte).

Sandra Akeni Kishi (Procuradora Regional da República – PRG. Graduada em Direito pela USP em 1991 e mestre em Direito Ambiental pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP) em 2003. Tem publicado artigos e participado como palestrante, debatedora e coordenadora de seminários na PGR).

Acesse o site do Memorial da Resistência de São Paulo.

 

Serviço:

SÁBADO RESISTENTE 

Dia 06 de junho, das 14h às 17h30

 Projeção do filme “Yami no Ichinichi”

Promoção:

 

NM


QR Code - Take this post Mobile!

Faça a leitura deste código QR (Quick Response) com o seu smartphone ou tablet. O código conduzirá à URL desta página que será salva no seu o dispositivo móvel para acesso, compartilhamento e armazenamento.

Link permanente para este artigo: http://www.forumverdade.ufpr.br/blog/2015/05/27/yami-no-ichinichi-o-crime-que-abalou-a-colonia-japonesa-no-brasil/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *